Blog Daora

menu
Topo
Blog Daora

Blog Daora

Chefs contam o que acontece nos restaurantes no Dia dos Namorados

Pedro Marques

2012-06-20T19:12:31

12/06/2019 12h31

Tenha paciência com as filas e os erros, recomendam os chefs (crédito: Divulgação)

Guerra, tumulto, confusão? Não é a movimentação do paulistano no Dia dos Namorados. Nesta data, o mais correto, a meu ver, seria ficar em casa – aplicativos como iFood, Rappi e Uber Eats, permitem escolher de tudo, sem ter que pegar fila. Para muitos casais, porém, é inevitável cumprir o ritual de sair para jantar e depois ir ao motel. Até porque, quem preferir ficar em casa será acusado de ser pouco romântico e ter o "coração peludo".

E não fique achando que só os namoradinhos é que se lascam. Toda a equipe do restaurante – de lavadores de pratos (carinhosamente, ou não, chamados de pias) a chefs de cozinha, passando por garçons e os caixas –, precisa cortar um dobrado para que todo mundo fique feliz ao final da noite. "É o nosso dia mais corrido, atendemos cerca de 70 casais em um curto espaço de tempo. A cozinha pega fogo", conta Daniela França Pinto, chef do restaurante Cortés Asador.

Para dar conta desse volume, os chefs criam menus especiais para facilitar a vida da cozinha e do salão. Ou você achava que os pratos servidos especialmente no Dia dos Namorados têm a ver apenas com romantismo? Na correria, quanto menos opções, mais fácil é atender os casais. "A gente faz um cardápio mais fechado para que o cliente não tenha que ficar pensando muito no que vai comer, diz o chef Marcelo Tanus, responsável pelas cozinhas dos restaurantes Ici Brasserie e Bráz Trattoria e dos bares Astor e SubAstor.

Esses cardápios também têm alguns segredos. "A gente evita cebola crua, comidas com alho… São coisas fatais para o Dia dos Namorados", se diverte Daniela. "A ideia é servir porções pequenas, para ser uma refeição leve. A gente também calcula exatamente o tamanho do prato e o tempo de serviço entre um outro. Em uma degustação, isso é o mais importante", explica Tanus, que serve nesta quarta-feira um jantar especial no Bar do Cofre. "A pessoa não pode sair de barriga cheia", concorda Daniela. Acho que todo mundo consegue adivinhar o motivo.

Como sair para jantar não é mais uma opção, os chefs também dão alguns conselhos para aproveitar melhor o Dia dos Namorados:

Dica nº1: Faça reserva! "Os horários mais cedo são os mais tranquilos", explica Daniela, do Cortés Asador. "E, como as pessoas vão para a fila do motel depois, é melhor chegar e sair com calma", brinca a chef. "No segundo turno, as pessoas chegam mais aflitas", diz.

Dica nº2: Vá com o fluxo. "Tudo é pensado para agradar o casal. O vinho sugerido vai chegar mais rápido, vai chegar geladinho, porque já estava na adega. Os cardápios fechados também chegam mais rápido", explica Daniela.

Dica nº3: Tenha paciência. "Parece que as pessoas ficam com mais pressa ainda nesse dia, mas é melhor para o casal ser mais compreensivo. É um dia mais movimentado e alguns atrasos podem acontecer", aconselha o chef Marcelo Tanus. "Tente não estressar, não brigar com o garçom", recomenda Daniela. "O melhor é tomar um bom vinho, aproveitar e não criar climão", acrescenta.

Bar do Cofre
https://www.subastor.com.br/bardocofre

Cortés Asador
http://restaurantecortes.com.br/

Ici Brasserie
https://www.icibrasserie.com.br/

Sobre o autor

Pedro Marques já trabalhou em redações e restaurantes, viajou bastante pelo Brasil e pelo mundo para comer e beber bem e trabalha como jornalista de gastronomia desde 2010.

Sobre o blog

Aqui você fica sabendo sobre as coisas mais “daora” dos bares e restaurantes de São Paulo! E outras nem tão daora assim.